segunda-feira, 29 de dezembro de 2008

Foto do dia - 29/12/2009

Cachoeira da Fumaça - Ibiúna/SP

Image Hosted by ImageShack.us

Foto feita pelo pessoal do Guia Ibiúna...

terça-feira, 16 de dezembro de 2008

Porsche + Bikes!

Bikes feitas pela Porsche! Algumas outras montadoras também possuem suas "magrelas" como a Mercedez Bez, BMW, Honda, Jeep, etc...

Image Hosted by ImageShack.us

Image Hosted by ImageShack.us

Image Hosted by ImageShack.us

Image Hosted by ImageShack.us

Image Hosted by ImageShack.us

Por enquanto vou pedalando minha SK mesmo hehe... Até!

quarta-feira, 10 de dezembro de 2008

Reformando a velha guerreira!

Fala galera, semana passada ganhei uma encrenca daquelas hehe, trata-se de um bicicleta Monark Barra circular da decada de 70.

Ela estava jogada no canto da oficina de uma amigo meu a uns anos, aí ele me ofereceu a encrenca, a qual eu aceitei prontamente hehe:

Image Hosted by ImageShack.us

Image Hosted by ImageShack.us

Image Hosted by ImageShack.us
Olha o tamanho do problema hehehe...

Já comecei o desmonte, e após retirar a maioria das peças, percebi que muito pouca coisa pode ser restaurada, sendo assim vou partir pra uma customização mesmo. A ideia é fazer uma bike com aparência meio "Rot Rod" hehe, a inspiração é essa:

Image Hosted by ImageShack.us
O quadro vai pro jateamento até o fim de semana, na semana que vem começo a encomendar algumas peças, acho que vou ter que importar algumas até (como o câmbio de 3 marchas integrado no cubo) , mas no final acredito que vai valer a pena.

Vou postando os progressos!

Há, aqui a história da barra cicrcular no Brasil:



"1960 - O fenômeno da Monark Barra Circular

O começo dos anos 60 se faz com mais de 30 marcas de bicicletas sendo produzidas no Brasil. A grande maioria fabricava modelos em vários tamanhos, geralmente 28, 26, 24, 22 e 20, em polegadas e referente ao tamanho da roda. Com o mercado de bicicletas em crise a necessidade de padronização para diminuir custos é a saída para evitar fechar as portas. A grande maioria das bicicletas adultas, já no final da década de 60, passa a ser produzida com rodas 26 ½.

É difícil encontrar referências para entender o que levou a criação do desenho do quadro da Monark Barra Circular. Antes dela havia no mercado uma série de quadros com reforços no triângulo principal do quadro, geralmente barras que ligavam o tubo de selim com a frente da bicicleta. Podia ser um segundo tubo superior, com os dois em paralelo, ou um "J" que nascia no tubo inferior pouco atrás da caixa de direção e terminava no tubo de selim. Havia até a referência das Schwinn com seus dois tubos de reforço em semi-círculo saindo da parte baixa da caixa de direção, passando pelo meio do tubo superior e terminando nas forquilhas traseiras. Mas tudo indica que nunca se havia feito um quadro com um reforço circular dentro do triângulo central.

O mais interessante é que a primeira Barra Circular a ser colocada no mercado tinha rodas 28, bem maiores que as 26 ½ que se tornariam padrão. O fato talvez explique o porque do tubo superior sair da caixa de direção para baixo para só depois ficar paralelo ao chão. É uma forma de diminuir a altura do quadro e acomodar uma população com altura média baixa, como a do norte e nordeste onde o modelo virou um fenômeno de vendas.
O desenho da traseira, com as duas forquilhas em peça única que começam quase no meio do tubo superior, abrem-se no tubo de selim para formar um pequeno triângulo, continuam na traseira em paralelo ao chão para criar um suporte para o bagageiro, descem para fazer uma suave curva nas gancheiras e terminam na caixa de movimento central. O bagageiro acaba tendo uma área de apoio superior maior que os convencionais.
Se o projeto não tem referências, não resta dúvidas que ele tem um fluidez que chega a ser agradável e um estilo algo futurista para a época. É completamente diferente do que se fabricava até então, quando o desenho do quadro normalmente tinha linhas retas, formas práticas, reconhecidamente resistentes, e que eram produzidas com o mínimo de desperdício de material.
A Monark Barra Circular foge da tradição e entra no mercado para fazer história. Mesmo uma marca com a força que a Monark tinha então só tem sucesso se seu produto cai no gosto público e a Barra Circular foi um sucesso total.

O interessante é que a qualidade das bicicletas produzidas no Brasil até então era boa. Havia uma cultura sobre as bicicletas bem estabelecida, pelo menos aqui no sul e sudeste do país. Quase não faz sentido sair das leves e eficientes bicicletas com quadro tradicional para cair num quadro cheio de tubos, detalhes e mais pesado. A alegação normal de seus usuários é que a Barra Circular é mais robusta, resistente que as outras.

A Caloi tenta conseguir morder um espaço deste novo mercado e a princípio lança a Barra Dupla, um modelo claramente inspirado na Schwinn. Alguns anos depois lança a linha Barra Forte que foi mudando o desenho do quadro, mas nunca chegou perto do impressionante número de venda da Barra Circular. No início dos anos 80 a Caloi lança uma linha nova, com um desenho de quadro em que as forquilhas tem uma continuidade que ultrapassa o tubo de selim e continua até quase a caixa de direção, formando assim um selim, ou banco, sobre o tubo superior. O desenho da bicicleta é muito suave e fluido, mas o desenho não faz sucesso esperado e seu custo de produção é alto, e já no ano seguinte ela começa a ser modificada. Irá surgir a última geração de Barra Forte com "banco" sobre o tubo superior. Logo será apresentada ao mercado a Caloi Barra C, quase uma cópia da Barra Circular.
O poder de mercado da Monark Barra Circular só irá diminuir no meio dos anos 90 quando o conceito mountain bike começa afetar até o mercado de bicicletas para trabalhadores."

Fonte
http://www.escoladebicicleta.com.br/histor...etaBrasilA.html

Em breve mais detalhes da reforma!!

segunda-feira, 8 de dezembro de 2008

Foto da semana - 08/12/2008

Foto de Jonh Shafer, etapa do Red Bull Rampage!

Image Hosted by ImageShack.us

sexta-feira, 5 de dezembro de 2008

Vídeo: Eu indo trabalhar de bike!

Fala galera, resolvi fazer um vídeo mostrando o que eu faço praticamente todos os dias hehe:

"Trocando o carro pela bike para ir ao trabalho! Trajeto com cerca de 2km, que de carro se leva entre 10 e 15 minutos, contando o tempo para tirar o carro da garagem, e procurar um lugar para se estacionar, e de bike se leva as vezes menos de 5 minutos!"



Pedalando devagar, curtindo o vento, chego ao trabalho sem suar muito, sendo que lá, eu dou uma boa lavada no rosto, uma penteada no cabelo, e na falta de um chuveiro, os lenços humedecidos quebram um galho hehe, aí é só trocar de roupa e começar a trabalhar com o astral lá em cima!

Boas pedaladas galera!

quinta-feira, 4 de dezembro de 2008

Bicicleta de 500 raios!

Bike recordista do Rank Brasil, com o maior numero de raios por roda, acompanhe a matéria!


"Invenção atribuída por alguns historiadores ao artista Leonardo da Vinci, a bicicleta reúne adeptos não apenas dispostos a pedalar mas também a inovar com diferentes designs e acessórios adaptados que deixam o veículo mais bonito e funcional. É o caso do mecânico Josué da Silva, de Araraquara, interior de São Paulo. Ele superou o recorde de “Bicicleta com maior número de raios”, que era do paranaense Reginaldo Langner, criador de uma bicicleta com 432 raios em cada roda. Josué projetou uma roda com 500 raios que não altera o desempenho da bicicleta, tornando-se o novo recordista brasileiro na categoria. A aferição do recorde foi feita pelo auditor Luciano Cadari na loja Bicisport, em Araraquara, onde a bicicleta encontra-se em exposição.

Image Hosted by ImageShack.us

Para se ter noção do trabalho necessário para conquista deste recorde é importante ressaltar que as bicicletas convencionais disponíveis no mercado possuem de 48 a 72 raios. Os raios de uma bicicleta são importantes para o alinhamento das rodas que, quando raiadas, suportam trezentas vezes o seu próprio peso. Quando bem montada, a tensão contida em uma roda é de meia tonelada e, lateralmente, ela suporta uma força de até 50 kg.

Josué levou seis meses para o projeto e execução da roda com mais raios. Ele conta que já montava rodas com 216 raios para vender e percebeu que havia espaço para mais raios. Fez uma pesquisa para saber se existiam rodas com mais raios e descobriu o recorde do RankBrasil. “Senti a necessidade de criar algo que superasse essa marca. Calculei quantos raios a mais caberiam e iniciei a montagem da roda, decidido a bater o recorde”, relata Josué.

Se a bicicleta com aros de 432 raios já impressionava, o que dizer dos 500 raios. Será que ainda existe espaço para mais raios e uma nova superação do recorde?"

Fonte:

http://www.rankbrasil.com.br/Recordes/Materias/?Bicicleta_com_Maior_N%C3%BAmero_de_Raios+1178&Grupo=3

segunda-feira, 1 de dezembro de 2008

Foto da Semana - 01/12/2008

A foto de hoje foi enviada pelo amigo "Pistol", do fórum da Spportcarbr.net

Image Hosted by ImageShack.us

Bike: GT BMX aro 24

Local: Terreno qualquer, São Carlos - SP

Estilo: Dirt Jump

Camera: Motorola V3i

História do dia:

"Eu e meu amigo, com nada de bom pra fazer e muita vontade de pedalar, fomos até um terreno em São Carlos com um monte de terra sobrando e preparamos uma rampinha com recepção pra brincar um pouco. O pulo na foto não foi dos melhores, mas o por do sol ao fundo ficou show!"

quinta-feira, 27 de novembro de 2008

Quer ficar bem visível quando pedala a noite?

Seus problemas acabaram, esta empresa americana oferece um esqueminha de leds pra se colocar nos aros, olha os efeitos e a luminosidade que eles provocam!



Quer saber mais a respeito? Acesse o site do fabricante!

http://www.monkeylectric.com/m132s_gallery.htm

segunda-feira, 24 de novembro de 2008

Foto da semana! Mande a sua também!

Fala galera, a partir de hoje vou inaugurar a "Foto da Semana" no Super Ação! Toda segunda feira irei colocar no ar uma foto de esporte de ação e aventura, ou de algum local legal que você visitou (ecoturismo), aí você pode dizer - "Tá, mas qual a novidade? Um monte de gente faz isso..."

Ok, mas aqui você poderá ver a sua foto ou da sua equipe, e através dela divulgar o seu esporte preferido ou sua equipe, ou ainda o local/cidade que você visitou, pedir patrocínio, ou só dar uma de "Robert" mesmo hehe...

Lembrando que as fotos tem que ser de esportes de ação e aventura, como ciclismo (todas as modalidades de mtb até cicloturismo), paintball, trekking, rappel, skate, etc, e todas as fotos estão sujeitas a serem redimensionadas e sofrerem leves retoques pra se enquadrar no perfil do Blog. Mande sua foto para o meu e-mail - betotuningway@gmail.com - Colocando no título, "foto Super Ação!" Coloque as informações a respeito da foto, (esporte, quem está praticando, o local se possível, coisas desse tipo).

Bom é isso aí! Pra começar hoje, vou colocar uma da minha coleção mesmo hehe...

Image Hosted by ImageShack.us
Esse sou eu dando uma brincada no campo de paintball da Fox Play! Sorocaba/SP.

quarta-feira, 19 de novembro de 2008

13/12 - 2° Ciclo Passeio até as Grutas de São Sebastião - Ibiúna/SP

Dia 13/12/2008 – Saída as 08:00h do Ibiúna Auto Posto (Shell) da Av. Maria La Farina Milani.

Fala galera! Estou abrindo o convite pra quem quiser acompanhar a gente no passeio, será a segunda vez que faremos o passeio, (sem contar uma vez que fizemos o caminho parcialmente, só o trecho de terra). É um rolê que vale muito a pena fazer, principalmente de bike, pois temos a oportunidade de ir apreciando melhor os atrativos do caminho, e que não são poucos hehe...

O trajeto:

Já em Ibiúna (pra quem vem de outras cidades tem um mapinha de como chegar), sairemos do Posto Shell no final da avenida Maria La Farina Milani, saída para Piedade, em frente a loja de materiais para construção “Xavier”, e próximo ao posto do resgate (antiga guarita da Guarda Municipal). Embora o posto seja pequeno, ele tem uma boa estrutura, tem caixa eletrônico, lanchonete, banheiro, farmácia, etc, e pra quem vier de carro até o local, segurança pra deixa-lo estacionado até a volta do passeio.

Saindo do posto, percorreremos alguns poucos km por dentro da cidade e sairemos para estrada já. Passaremos por diversos bairros rurais, e quando estivermos chegando ao nosso objetivo, já estaremos próximos de ultrapassar os 1000m de altitude!

A distância total fica por volta dos 60 km, 30km pra ir e 30km pra voltar, mais subidas na ida, mais descidas na volta. (Mas não se preocupem, na ida tem uma pirambeiras sinistras também hehe)

O percurso é misto, os primeiros 16km do percurso de ida são de asfalto, e o restante é de estrada de terra, ora fina como areia, ora cheia de cascalho, e as vezes até com umas poças de água e lama, dependendo do clima. Até por isso, não recomendo o uso de pneus Slick, e sim de pelo menos pneus mistos.
São apenas 60km, pode não parecer muita coisa, mas devido a grande quantidade de subidas no caminho de ida, essa distância acaba parecendo ser bem maior hehe.

As recomendações são as de sempre pra um ciclo passeio desse tipo, uma mochila vem bem a calhar, nela você pode colocar uma câmara reserva (ou kit remendo, mas a câmara é mais prática), bomba pra pneu (se bem que um dos participantes levando, já garante o resto), alimentação adequada, como frutas, um bom lanche, suco ou isotônico, e muita água. Também é bom levar protetor solar, já que estaremos em Dezembro e o sol promete hehe, kitzinho de primeiros socorros também é uma boa, da até pra cada um levar um item, assim não pesa pra ninguém. Inclusive estou tentando conseguir um carro de apoio pra levar água, frutas, etc, e armar um almoço pra gente a hora que chegarmos lá, mas nada certo ainda, sendo assim é bom providenciar o que comer também pra quando estivermos no local.

Uma muda de roupa pra trocar pode ser útil também, mas não é essencial

PS. No caminho tem algumas vendas e mercearias, onde se pode comprar lanches e doces caseiros, refrigerantes, etc...

Exigências:

Peço aos participantes, que estejam devidamente equipados com luvas, capacete, e se possível óculos, proteção nunca é demais, verifiquem com antecedência o estado da bike, como já disse antes, pneus do tipo cross ou mistos são indicados para o passeio, faça as devidas manutenções para não ficar na mão na hora de pegar a estrada e ainda por cima estragar o rolê dos outros. Como já disse, estou tentando conseguir um carro de apoio, que no caso contaria com um transbike, mas nada certo ainda, portanto certifique-se que você consegue ir e voltar pedalando, o trajeto não requer nenhum esforço extraordinário, mas se você está a alguns meses sem nem se quer fazer uma caminhada, com certeza vai sentir muito cansaço e dores na volta. Lembrem-se que estaremos distantes da cidade, então é bom não dar chance para o azar.

Lembrando ainda que o ritmo será sempre o do ciclista mais lento, isso pra evitar a dispersão do grupo, quem quiser aproveitar as descidas pra curtir um “down hill” tá liberado, desde que esperem o grupo ao fim dela.

O local:

Bom, chegando ao local, de cara temos a capela de São Sebastião, construída em um dos pontos mais altos da região, com uma vista incrível, em dias de céu limpo, chega-se a observar até a rodovia BR-116, distante muitos km do local! Existem pessoas que afirmam enxergar o mar até hehe, mas aí eu já não ponho “minha mão no fogo” pra confirmar...

Próximo a capela, existem banheiros e água encanada. Também exite uma área coberta com mesas e bancos de cimento, onde se pode lanchar ou almoçar a vontade.

Seguindo pela trilha que começa abaixo da capela, segue-se por 1,2km de descida até as grutas, onde se encontram algumas pedras gigantescas, vegetação abundante, e a bica de água, onde repousa uma imagem de São Sebastião.

Embora a história esteja muito ligada a religião católica, a beleza, a energia, e a paz do local atraem visitantes de todas as crenças e regiões.

Chegando ao ponto de saída.

Chegar ao local de saída é fácil. Logo na chegada de Ibiúna, você ira avistar uma rotatória com o nome da cidade. Chegando nela vire a direita, você seguirá pela Av. perimetral, conhecida também como marginal, (repare que logo no início da pista haverá uma estrutura com uma placa escrito "Ibiúna Info"). Siga por essa pista até o final, você passara por mais uma rotatória, por um posto de combustíveis da Ipiranga, e um pouco mais ao fundo a rodoviária local. Continue pela marginal até o fim. Chegando ao fim dela, você estará ao lado da CPFL (Cia Piratininga de Força e Luz), você então ira virar a esquerda e chegando a uma rotatória poucos metros a frente, ira então virar a direita, seguindo pela avenida Maria La Farina Milani, você passará ao lado da VW, o ponto de saída fica no posto ao final da avenida.

----------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Bom, é isso, qualquer dúvida ou informação extra podem me mandar um e-mail - betotuningway@gmail.com

Estarei a disposição pra qualquer esclarecimento!

terça-feira, 18 de novembro de 2008

10 desculpas esfarrapadas para não se aventurar!

Fala galera! estava eu "passeando" pelo fórum do www.Pedal.com.br, quando me deparei com esse texto genial, inclusive já imprimi algumas cópias para entregar para algumas pessoas que andam precisando de um empurrãozinho pra começarem a "viver a vida de verdade" hehe...


Dez desculpas esfarrapadas para não se aventurar por aí.

Quantas vezes você, ilustre leitor e aventureiro, não ouviu todo tipo de desculpa quando convidou alguém para pedalar, correr, remar, ve o por-do-sol do alto de uma colina?
Ou pior, quantas vezes você – você aí, não se faça de desentendido! - não usou uma dessas desculpas chumbregas para evitar suar a camisa?
Será que você - você aí, meu chapa, sentado no sofá, com o controle da TV em uma mão e uma lata de cerveja na outra! - não está usando exatamente uma dessas desculpas para continuar chocando?
Pois vejamos.

Colecionei, ao longo dos anos, uma lista com as dez ladainhas mais populares, aquelas que parecem absolutamente indestrutíveis a olho nú - as chamadas "desculpas perfeitas"!

Sinto informar, ilustre Dr. Pijama e Pantufa, que elas são todas esfarrapadas.

Então, se você se identificar com esse texto, ou se conhecer alguém que se enquadre, mantenha-o à vista, pregue-o na geladeira, envie via e-mail ou carta-registrada, engaje-se nesta minha campanha pessoal: "Aventureiros, aventurai-vos, tirem a Bunda do Sofá e comecem a suar!"

Image Hosted by ImageShack.us
Quer ficar que nem o gatão aí hehe?


1. Eu não tenho tempo!

Ninguém tem tempo. O tempo não pertence a ninguém. Tempo a gente faz ou desfaz dentro das nossas cabeças. Se você é daqueles que passa horas por dia na frente do computador (gastando sua vista com joguinhos, visitando site de mulher pelada - ou homem pelado, porque ninguém tem nada a ver com isso - batendo papo com amigos que você nunca viu), assiste telenovela, fala horas ao telefone, faz nove refeições por dia... Se liga! Basta trocar esse tempo perdido por aventura. No final, você não vai se arrepender.
Então, não me venha com ESSA desculpa!

2. Eu não tenho companhia!

"Meus amigos não curtem aventura!" – essa é uma desculpa que ouço direto! Fácil de resolver – troque de amigos! Não é piada. Se você começar uma atividade de aventura (pedalar, escalar, caminhar, remar, por exemplo), vai conhecer gente diferente e acabar fazendo novos amigos. Quem sabe seus velhos companheiros de Internet, suas amigas de cerveja e pizza, não se animam e vão contigo descer um rio em um bote de rafting? Se as amigas insistirem, elas podem até levar a revista Caras dentro do bote.

3. Estou sem grana!

Você já viu pedágio na curva de uma trilha? Já viu roleta flutuando num rio? E cobrador amarrado numa rocha? Eu ainda não. Aventura é uma das atividades mais baratas que existe, e quem disser o contrario merece dez chibatadas! Tem gente por aí que pensa que aventura é sinônimo de equipamento, e para caminhar em volta de uma árvore o cara compra um GPS! Fique esperto! Com um tênis velho e uma mochila remendada você já pode virar o rei do trekking! Eu já vi gente correndo provas de aventura de tênis Bamba, já vi escalador fera de Ki-chute e já perdi muita corrida de MTB para ciclista com bike de supermercado!

4. Não sei por onde começar!

Pelo começo, óbvio. Que tal começar perguntando a alguém do ramo? Que tal perguntar para mim? Ó eu aqui! Hoje em dia, com a Internet, ninguém tem o direito de dizer "eu não sabia!" – não sabia porque não quis saber! Nenhuma atividade básica de aventura exige diploma, babá, guarda-costas ou sei lá o que. Quem quiser estudar, ler profundamente a respeito, ótimo, aproveite a oportunidade. Quem não puder ou não quiser, comece seguindo quem sabe. A maioria das trilhas, rochas, rios e matas pertencem a todos nós, são propriedade pública. E o que é propriedade particular normalmente está aberto a todos, com ou sem taxa de uso, é só pedir licença, abrir a porteira e entrar. Só não se esqueça de fechar a porteira depois, se não as vacas fogem...

5. Eu não tenho carro!

Bom, se você quer fazer o Rally dos Sertões, então isso é um problema! Mas se você diz que não tem carro e, por isso, não faz trekking, não anda de bike ou não escala, então você nunca conheceu meu amigo Bill. O Bill é mountain biker das antigas que nunca teve um carro. Na verdade ele nunca comprou uma bicicleta! Ele sempre usou aquilo que os amigos emprestavam, ou cansavam de emprestar a acabavam dando de presente para ele. O cara tem um currículo com centenas de corridas em todo lugar do mundo, sempre viajando de carona. Então, faça como meu amigo Bill, e se vire!

6. Minha namorada (ou namorado) não deixa!

Já pensou em trocar de namorada ou namorado? Ou, menos radical, que tal encontrar soluções amigáveis e flexíveis? Minha mulher não pedala, por exemplo, enquanto eu pedalo até nos meus sonhos. Quando nós viajamos eu acordo bem cedo para pedalar, enquanto ela faz as coisas dela, pratica yoga, caminha, etc., eu volto antes do almoço e a gente passa o resto do dia juntos. Sem estresse. Se vamos a uma pousada, escolhemos sempre um lugar que agrade a ambos e mantemos o acordo inicial – as manhãs pertencem à bicicleta, as tardes e as noites ao casamento. O ideal é tentar incentivar o cônjuge a fazer aventura também, mas se não funcionar, basta os dois serem um pouco flexíveis para a aventura virar parte integrante do relacionamento. Ou isso ou entre num acordo: você entra com a botina nova e ele, ou ela, entra com a bunda velha!

7. Estou muito fora de forma!

Em geral essa desculpa vem acompanhada de "e não tenho tempo de treinar" ou "e não tem lugar para treinar perto da minha casa". Então, para completar, a pessoa liga a TV e faz mais um sanduíche de atum com geleia de morango. Em primeiro lugar, estar em forma não significa ter o corpo do Arnold Schwartznegger, nem correr uma maratona por semana. Caminhar ao ar-livre é um esporte de aventura que requer pouco preparo físico e qualquer um pode treinar andando pela cidade. Ah, vai dizer que você nunca pensou nisso? O Julio Fiadi, primeiro brasileiro a chegar caminhando o último grau de latitude nos dois pólos da Terra, treinava caminhando pelos bairros do Pacaembú, Perdizes e Sumaré, em São Paulo. E ele ainda arrastava dois pneus de carro amarrados à cintura, para simular o trenó que ele puxaria nos Pólo Norte e Sul!

8. Preciso do equipamento ideal!

O que você chama de "equipamento ideal"? Um veículo 4x4 Hummer? Um capacete espacial com visão noturna infravermelha, GPS, bússola digital e telefone via satélite acoplados? O Brad Pitt ou a Britney Spears carregando sua mochila? Bom, eu também quero tudo isso, mas, sinceramente, não preciso de nada disso! Pense nos escoteiros, que há anos fazem todo tipo de aventura usando o equipamento mais básico que existe. No mundo inteiro escotismo é sinônimo de escola de aventura e o material que eles mais usam ainda é a lona! Nada de Gore-tex, Cordura-plus, fibra de carbono e sei lá mais o que! Quem pode ter o melhor, que tenha; quem não pode, vai fazer aventura do mesmo jeito... Só não vai sair tão bonito na foto.

9. Acho tudo muito perigoso!

Se você mora na Suíça, em frente do lago de Genebra, então tudo é realmente muito perigoso fora do seu bairro. Mas se você vive no Brasil, então repense essa desculpa. Tem gente pegando dengue em Copacabana, sendo seqüestrado na avenida Paulista, pisando em cocô de rato no Savassi, em Belo Horizonte! Então onde está o perigo? Eu acho mais perigoso atravessar uma rua sem semáforo do que escalar a Pedra do Baú; acho mais perigoso ficar preso dentro de um carro num engarrafamento do que dormir no mato; acho mais perigoso tomar chuva na cidade grande (que é ácida e tóxica) do que me jogar numa cachoeira. O perigo está em todo o lugar, mas o maior perigo é ficar trancado dentro de casa com medo.

10. Tenho preguiça!

Ah, eu também! Todo mundo tem preguiça! Uns mais, outros demais! Mas sempre que percebo que a preguiça está ganhando o jogo, lembro do prazer que é subir uma montanha com a força das minhas pernas, chegar lá em cima e respirar o ar fresco e frio, olhar em torno e ver o mundo, sentir o cansaço dando espaço à satisfação, sentir orgulho por estar lá em cima e fazer parte de toda aquela grandeza. Depois eu sempre penso no que eu estaria fazendo se tivesse deixado a preguiça dar a palavra final... Dá vontade de rir!

O texto originalmente se encontra na pagina http://www.kalapalo.com.br/apresentacao.asp

É isso aí minha gente, levantem o popozão do sofá, da cadeira, ou seja lá onde for que ele esteja acomodado e saia por aí, a vida é uma aventura! Abraço a todos!

quarta-feira, 12 de novembro de 2008

Em Dezembro, passeio até as Grutas de São Sebastião - Ibiúna/SP!

Fala Galera, já adiantando, em Dezembro faremos um passeio de bike até as grutas de São Sebastião, (tem matéria aqui no blog sobre o local!), estamos ainda acertando o dia, mas em breve eu postarei as informações completas aqui. Só estou dando este "pré aviso" pra galera que quiser participar já ir se preparando, e dando uma treinada também, afinal são cerca de 60km, mas com muitas subidas no trecho de ida, então é bom estar com o folego em dia hehe! Abraço!

Relato do ultimo passeio pra lá:

http://ibiunainside.forumeiros.com/ibiuna-in-side-geral-f3/role-de-bike-ate-as-grutas-de-sao-sebastiao-t1.htm

Image Hosted by ImageShack.us
Foto do caminho...

terça-feira, 4 de novembro de 2008

Iluminada!

Fala galera, to meio "sufocado" de trabalho ultimamente, e não tá dando muito tempo de postar umas matérias bacanas, mas vou deixar um foto inspiradora aqui, assim pelo menos a gente pode olhar pra ela e se desligar por alguns segundos no nosso dia a dia conturbado...

Image Hosted by ImageShack.us

Boa semana a todos!

quinta-feira, 23 de outubro de 2008

Cicloturismo com o Super Waldson! SP - Bertioga - SP

Fala galera! Vou postar aqui o relato do passeio que o nosso amigo cicloturista Waldson fez recentemente, acompanhem a aventura!


"Olá, pessoal.
Neste sábado, 11/10, resolvi dar uma esticada até Bertioga-SP, afinal depois de tanta chuva e frio eu estava mais era querendo ver a natureza de perto, hehehe!

Tentei sair as 6 da matina, mas acabei saindo passava das 06:30. Fui pela Rodovia Airton Senna e Mogi-Bertioga, conforme Mapa abaixo. Difícil foi pedalar a Airton Senna com vento contra o tempo inteiro. Parecia que tinha alguém me segurando pela camisa, hehehe!

Mapa, para quem quiser fazer esse pedal:

Image Hosted by ImageShack.us

Início da pedalada na rodovia. O tempo estava fresco e sem sol. Joguei todas as minhas fichas na previsão do tempo.

Image Hosted by ImageShack.us

Primeira parada: 30 Km depois, no primeiro posto da rodovia, pouco antes do pedágio. Por aqui não tem "matinho", hehehe!

Image Hosted by ImageShack.us

Tem um biker na minha frente. Mas eu vou entrar prá Mogi das Cruzes.

Image Hosted by ImageShack.us

Image Hosted by ImageShack.us

Só de pensar que a gente tem passar por aquela serra, já dá um frio na barriga...

Image Hosted by ImageShack.us

Adolescentes caminhando ao longo da Rodovia. E olha que falta bastante para Mogi!

Image Hosted by ImageShack.us

Já em frente a Casa do Queijo... Olha a inclinação da pista. Essa rodovia é só subida até Mogi... parece que não acaba mais, sô!!!

Image Hosted by ImageShack.us

Image Hosted by ImageShack.us

Olha só a cidade de Mogi das Cruzes! Daqui de cima a vista é muito legal! Ademais, chega de subir, subir.... assim não há perna que aguente!

Image Hosted by ImageShack.us

Primeira baixa: Parei umas três vezes para encher o pneu dianteiro. Estou com duas câmaras sobressalentes, mas... e a preguiça? Sabendo que em Mogi tem um monte de bicicletarias, quem tem disposição para trocar câmara? Me informei e parei na Bicicletaria Ipiranga, Rua Ipiranga, 335 - Centro. Atendimento nota 10!

Image Hosted by ImageShack.us

Nossa, ainda falta tudo isso???!!! Mas que está bom, está!

Image Hosted by ImageShack.us

Hei!!! Cadê o acostamento?

Image Hosted by ImageShack.us

Aqui começa o que há de melhor no passeio! Ah, depois de uns bons Km o acostamento voltou!

Image Hosted by ImageShack.us

Creio que todos nós concordamos, não é mesmo?

Image Hosted by ImageShack.us

Sem comentários...

Image Hosted by ImageShack.us

Image Hosted by ImageShack.us

A Natureza com sua garra cria raízes até na pedra!

Image Hosted by ImageShack.us

Olha só onde eu vou passar daqui a pouco...

Image Hosted by ImageShack.us


Duvido que alguém, passando de carro, poderá ver essa bananeira até com flores!

Image Hosted by ImageShack.us

A mãe natureza mostrando toda a sua exuberância!

Image Hosted by ImageShack.us

Estou chegando... falta só uns 8 Km.

Image Hosted by ImageShack.us

Já na Praça florida, perto da Balsa, em Bertioga.

Image Hosted by ImageShack.us

Agora um pouco de cultura: O Forte São João e sua história. Lugar muito bonito.

Image Hosted by ImageShack.us

Image Hosted by ImageShack.us

Image Hosted by ImageShack.us

Image Hosted by ImageShack.us

Image Hosted by ImageShack.us


Distância: 133.87 Km. (Considerando que dei uma passeada durante mais de uma hora na ciclovia da Praia da Enseada)
Velocidade média: 17,7 Km/h.
Velocidade máxima: 70,7 Km/h.
Tempo: 7h:32m:10s Horas pedaladas.
Voltei de ônibus - Viação Litorânea - São Sebastião - São Paulo, via Via Anchieta.
Preço da passagem: R$ 19,15 com taxa de embarque inclusive.
Baixas: Um pneu furado.

Um bom passeio. Recomendo. Só tomar cuidado, pois há bons trechos sem acostamento. Melhor ir de sábado, considerando que depois de Mogi é proibido o tráfego de caminhões aos sábados até o meio dia.

Agradeço a Deus por ter me proporcionado mais este momento de prazer e alegria e poder compartilha-lo com todos vocês!

Abraços e muita Paz Celestial!

Waldson

Conforme prometido, segue foto da réplica do Moar, da Ilha de Páscoa, que achei muito interessante. Aproveito para posta mais umas fotos que faltaram... Deu até pastél e praia, hehehe!

Moar:

Image Hosted by ImageShack.us

Pastel:

Image Hosted by ImageShack.us

Praia (que delícia!):

Image Hosted by ImageShack.us

Image Hosted by ImageShack.us
Quem quiser fazer o passeio, taí. Posso dar qualquer informação.
Abraços!
Waldson"


Ta aí galera, futuramente mais aventuras cicloturísticas hehe, abraço!!